terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O grude com o pai

Até nos restaurantes, ela quer sentar perto dele. Pode isso?


Sempre me disseram que menina é mais apegada ao pai, mas eu não acreditei. Mas o que acontece é que agora Kamille acorda e quer o pai. Se ele chega do trabalho quer ir correndo pro braços dele. Um grude só.

Outro dia, ele saiu pra trabalhar cedinho e ela ainda estava dormindo. Ela passou toda a manhã: "Papai, papai, papai!" Ele chegou na hora do almoço e ela havia acabado de dormir, e quando saiu novamente ela ainda estava no soninho bom. Então ela passou a tarde todinha: "Papai, papai!". À noite, quando ele chegou, ela finalmente estava acordada e ao escutar o som da cerca desalarmando e o portão se abrindo, ela começou a pular e gritar, super feliz. Ao vê-lo se jogou nos braços dele, e ai dele se não a pegasse.

Agora, aqui em casa, pra ele sair, tenho que me trancar no quarto com ela e ligar a tv e fazer zuada, pois se ela escutar a motor do carro ligado, começa a chorar. Ela já sabe que é ele que está saindo.

Todos os dias, ao acordar, ele a pega e vai prender Katrina (nossa cadela). Quando ele demora, ela chama dizendo: "Au au, papai!". É tudo muito lindo, mas vou confessar... tem um ciuminho batendo aqui!!

rsrsrrs


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu e Kamille vamos adorar seu recadinho!!