sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Adeus Ano Velho... Feliz Ano Novo!!





Mais um ano que se vai, mais um ano que vem... renovam-se as esperanças de dias melhores, de um ano melhor do que o que passou. Sinceramente não tenho nada a reclamar, só a agradecer à Deus pelo maravilhoso ano de 2010. Claro que nem tudo são flores... Minha vozinha, bisa da Kamille, está acamada e sentindo dores, mas Deus há de intervir por sua melhora e em 2011 ela novamente estará bem.
Ao fazer uma retrospectiva do que passou, lembro perfeitamente cada alegria que tive, prefiro esquecer as tristezas, para não tirar a magia das alegrias. Em março concebi Kamille... mas só vim ter essa tão maravilhosa notícia em maio (dia 19), 8 dias antes do meu aniversário (dia 27). Mais uma vez, Kamille aparecendo como um presente: presente de Deus!
No mês de junho, São João, não saí muito. Apesar de morar na cidade do Maior São João do Mundo (Campina Grande-PB) com 30 dias de festa, me privei das noitadas em prol de uma garvidez tranquila e saudável. Só não resisti à tentação de curtir o show de Chiclete com Banana em Caruaru, mas também dessa vez não fiquei no "pé do palco" como das outras vezes!
Em Julho soubemos que teríamos uma princesa e a felicidade foi maior ainda, o que contagiou toda a família e amigos próximos. Todos já ansiosos para o nascimento da pequena. Em Agosto iniciamos a reforma da nossa casa. Foi um mês turbulento... a casa cheia de poeira, mal cheiro de tinta... cheguei a ter taquicardia, mas nada que afetasse o feto!
Em Setembro compramos o quartinho dela e colocamos tudo nos devidos lugares... daí então, começamos a montar o enxoval.
Em Outubro fomos à praia e Kamille tomou seu primeiro banho de mar na barriga da mamãe. Foi um feriadão maravilhoso. Ainda neste mês, fizemos o Birifraldas da Kamille, com direito a trio de forró pé-de-serra e tudo mais. Arrecadamos quase 1.500 reais em fraldas, fora os produtos de higiene e os presentinhos que a Kamille ganhou por fora. Super produtiva a festa... hehehehe.
Em Novembro começamos a contagem regressiva, apesar da DPP ser para o final de Dezembro. Em Dezembro fomos para a formatura da Tia Adeilza e mamãe ficou linda, chamando a atenção pelo barrigão.
Enfim... chegou 23 de dezembro e foi o dia mais lindo da minha vida!
Hoje, dia 31 de dezembro, bate a nostagia, a saudade de entes queridos que não estão (meu pai, meu avô) ou não estarão (minha avó que está na cidade dela e minha mãe que acabou de sair daqui de casa e irá passar ano na cidade da minha avó, com ela) ao meu lado nesse dia. Ao mesmo tempo a felicidade novamente invade e toma seu lugar, como forma de superar as prováveis tristezas desse dia.
Que venha 2011 trazendo mais paz, alegrias e esperanças para os nossos corações!!
FELIZ 2011 PARA TODOS!


quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Primeira semana de uma nova vida!


A razão da minha vida!
Hoje está completando 8 dias que a minha princesinha veio ao mundo. Queria ter podido passar aqui antes para relatar tudo o que vivemos até aqui, mas é que o tempo está realmente escasso. Desde o dia 23 que venho vivendo uma nova vida, cheia de descobertas e aprendizagens, de choros e alegrias. Choros sim! Quem pensa que vida de mãe é fácil engana-se. Tem hora que bate um desespero, uma impaciência que só Deus para nos dar serenidade e sabedoria para sair de tal situação.
Bem, vou tentar relatar tudo o que vivemos até aqui... perdão se não ficar bem explicado e algumas coisas sem nexo, mas é que estou aproveitando que Kamille está dormindo para escrever.


Última foto com barrigão, tirada minutos antes de ir pro centro cirúgico.

Relato do parto

Ainda meio sem acreditar que já sou MÃE, estou aqui, oito dias depois de ter concebido a maior riqueza da minha vida, para deixar registrado o momento mais feliz que já vivi. Apesar de estar esperando Kamille chegar até o dia 24 de dezembro, meu mundo mudou a partir das 11h30min da quarta-feira, dia 22 de dezembro, quando entro na sala do meu GO para a última consulta e ele me diz: “Prepare as malas que Kamille chega amanhã!
Fiquei muda! Como assim?! Como ele sabia que seria amanhã se estávamos esperando o Parto Normal (PN) até o dia 24?! E caso contrário, a cesárea seria no dia 24 mesmo. Então ele começou a me explicar: no dia 24 toda sua equipe estaria viajando para passar Natal com a família. Ele estaria na cidade, mas a anestesista e a neonatologista não, então, por causa de um dia, ele preferiu antecipar o parto e fazer no dia 23 cedinho. Saí do consultório radiante, para terminar de ajeitar tudo para a chegada da minha princesa.
Quando fui dormir passava das 23hs e juro que pensei que não conseguiria pregar o olho, de ansiedade. Mero engano! Encostei a cabeça no travesseiro, recomendei minha vida e a da minha filha à Deus e dormi. Caí feito uma pedra e só acordei uma única vez para fazer xixi. Acordamos [eu e meu marido] às 4h30min, arrumamos as coisas no carro, pegamos minha mãe, depois minha sogra e fomos para a maternidade. Chegamos lá às 5h30min e fui imediatamente para o apartamento me trocar e seguir para o centro cirúrgico. Confesso que não estava nervosa, apenas um pouco tensa. Minha família estava mais nervosa que eu e quando eu fui para o centro cirúrgico meu esposo se trancou no apartamento da maternidade e começou a chorar... o bichinho! Ele não teve coragem de assistir ao parto. A gente corria o risco de os médicos terem que parar o procedimento cirúrgico para acudi-lo... ele é mole pra essas coisas! Mas minha amiga Jordania assistiu tudo e filmou esse momento lindo!
Já no centro cirúrgico fui atendida por uma equipe ótima, melhor impossível. A enfermeira era um amor de pessoa e ficou o tempo todo me tranquilizando. A única coisa em que padeci foi na hora da anestesia (eu e o meu medo de injeções!). Na hora em que a anestesista começou a aplicar eu me contorci pela surpresa da picada e acabei levando um "carão". A anestesista me tranquilizou, pois eu estava muito tensa, mas muito tensa meeeeeeeesmo! Comecei a rezar uma Salve Rainha, pedindo que Nossa Senhora me ajudasse... quando terminei a médica me mandou deitar: não senti nadica de nada quando ela novamente enfiou a agulha, graças à Deus.
Comecei a sentir minhas pernas esquentarem e adormecerem... senti os médicos pressionarem meu ventre, foi quando a anestesista (que não saiu um só segundo do meu lado) disse que Kamille estava quase nascendo. Menos de um minuto depois eu escuto o choro mais lindo desse mundo: minha filha tinha nascido. Não segurei as lágrimas e também comecei a chorar... mas não era um chorinho, erão um chorão, um berreiro mesmo, como se eu estivesse com uma dor enorme... comecei a soluçar.
Vi a pediatra passando de um lado para o outro com minha filha e eu doida, seguindo com os olhos: era um tal de limpa-limpa, de pesa-pesa... e minha aflição aumentando e o choro também. Quando vi a carinha dela foi a emoção mais linda que já vivi... aí foi que chorei mesmo, meu coração começou a palpitar mais forte. Tenho nem palavras para descrever a sensação... acho que só quem já é mãe sabe do que estou falando.
Quando levaram minha pequena para o berçário a anestesista novamente veio ter comigo e disse que como eu estava muito afobada iria aplicar um calmante no soro para me tranquilizar: eu iria adormecer e ao acordar já estaria no quarto. Concordei, mas quem disse que o tal calmante surtiu efeito? A não ser que tenha feito o efeito contrário, pois fiquei mais do que ligada. Vi tudo... 
Ao chegar no quarto que não vi Kamille fiquei meio que nervosa (eu morria de medo que trocassem ela na maternidade, heheheh). Pedi a minha mãe que fosse atrás dela e quando menos espero meu esposo entra com ela nos braços. Ufa! Que alívio! Minha filha tava ali, nos braços do pai... dormindo feito um anjo! Me tranquilizei e tentei dormir. Mas quem disse que consegui? Eu estava meio grog por causa do efeito da anestesia e do calmante, mas mesmo assim tagarelava sem parar... sempre levando bronca da família e das enfermeiras, pois segundo eles, eu não poderia falar, caso contrário, me daria fortes gases. Mas o que acontece é que eu não conseguia segurar a língua... e quando as visitas começaram a chegar então... foi que não consegui meeeesmo!
Só vim apagar mesmo depois das 23h30min, aí sim, dormi feito uma pedra.
 Tivemos alta no dia 24 à noite. O nosso GO foi bonzinho conosco e nos deixou ceiar em casa. 

Primeira noite em casa

Apesar de ser Natal e de eu já estar com minha bebê em casa, não foi tudo tão maravilhoso como esperava, pois passamos a noite em claro com a Kamille, e por dois motivos: primeiro, o leite estava dando trabalho para sair; e segundo, ela estava tendo cólicas terríveis e que nada passava. Para mim, marinheira de primeira viagem, aquilo estava sendo um tormento! Ver minha bebê sofrendo e eu sem conseguir fazer nada. Quando conseguimos pregar o olho passava das 6h da manhã. Vencemos essa etapa. Nos demais dias tudo correu bem!

Vacinas

Na segunda-feira (dia 27) fomos dar a vacina BCG e contra a Hepatite. Percorremos todos os postos perto de casa e sempre recebáimos a mesma resposta: "Não estamos autorizados a aplicar em recém-nascidos!" Como não se essas são vacinas essenciais para um recém-nascido?! Depois de andarmos muito, o sol já bastante quente, descobrimos que dois lugares onde estavam habilitados a aplicar a vacina: a maternidade do ISEA e a antiga Casa de Saúde Dr. Brasileiro (não sei o nome hoje!). 
Seguimos para a antiga Casa de Saúde Dr. Brasileiro. Ao chegar lá passava das 11h da manhã e já tinha terminado o expediente da manhã. Fomos para o ISEA, recebemos a mesma resposta. Voltamos para casa frustrados!
No dia seguinte (dia 28) saímos de 7h de casa e fomos para a antiga Casa de Saúde Dr. Brasileiro. Mais uma decepção: a enfermeira de plantão nos disse que ela não estava habilitava a fazer a BCG, pois não era todo mundo que a aplicava. E pior! Ainda escutamos uma outra enfermeira (bem novinha e mais parecia uma estagiária) dizer que SE A GENTE QUISESSE ela aplicava. Fiquei indignada!! A raiva subiu à cabeça e só não disse umas coisas porque meu esposo me acalmou. Quem elas pensavam que eram??? Uma DESabilitava no serviço e outra que achava que minha filha era qualquer coisa e queria aplicar sem a devida experiência. Como se Kamille fosse uma cobaia... e o que desse, daria e pronto!
Seguimos então pro ISEA, finalmente dessa vez tinha alguém de plantão e habilitada a fazer as aplicações. Minha filha agora está devidamente vacinada.

Teste do pezinho e do olhinho... e furo da orelha!

Ontem (dia 29) fomos fazer o teste do pezinho. Kamille chorou bastante, mas graças à Deus só foi preciso dar uma furada. Segundo  menina que colheu o sangue, às vezes é necessário fazer mais de um furo para conseguir o sangue necessário para completar os círculos. Depois seguimos para o Oftamologista (recomendado pela pediatra), um senhor de idade que demonstrou muita sabedoria e experiência, além de uma simpatia sem igual.
Apesar de o SUS dar esses testes, resolvemos fazer particular (pelo plano de saúde), pois ainda não estou em condições de andar muito por causa da cirurgia... e mesmo podendo deixar isso a cargo da minha mãe ou da minha sogra eu não quis. Quero participar de cada etapa da vida da minha filha!
Ahh, depois disso ainda passamos na farmácia e furamos a orelhinha dela. Agora sim... devidamente de brinco... a coisa mais fofa que mãe já viu! Segunda faremos o teste da orelhinha e minha filha estará em dias com as obrigações de recém-nascido!


Estou cansada, quebrada, me sentindo um bagaço... mas feliz! Apesar de me sentir assim, quando paro e vejo minha filha num soninho angelical me bate uma felicidade enorme, uma sensação de dever cumprido, de alívio. Agora, mais do que nunca, entendo o real significado da frase/ditado: 
SER MÃE É PADECER NO PARAÍSO!!

Por hoje é só... isso tudo!
hehehheheheh

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

"Estou contando as horas, contando os minutos, contando os segundos..."









Filha,

Mamãe está nas suas últimas horas de barrigão. Em pouquíssimo tempo você virá ao mundo e estarei com você em meus braços. Ansio por isso há muito tempo e não vejo a hora de ter esse momento em minha vida. Perdoa se a mamãe chorar, é que sou besta mesmo pra essas coisas. Papai tá mais do que ansioso pra te conhecer. E toda a família já está de plantão para ir pra maternidade esperar sua chegada.
Obrigada pela gravidez tranquila que você me proporcionou. No começo foram muitos enjoos, mas depois dos 4 meses passaram. Agora no finalzinho teve só o probleminha da anemia, mas aí foi culpa da mamãe, que jamais esperava ter uma anemia e não se cuidou bem nesse aspecto. Mas o que importa é que estamos bem... e que tudo, se Deus quiser, correrá bem.
No próximo post já espero postar fotos suas, de como você é linda e de como foi todo o processo do seu nascimento.
TE AMO, filha! Mais do que tudo nesse mundo... muito mais do que as palavras possam expressar, muito mais do que o infinito. Tu és a maior bênção de Deus em nossas vidas.
Vem pra gente, vem! Estamos te aguardando...


Com amor, MUITO AMOR,
Mamãe Monalisa.


Esse texto é belíssimo (a mamãe chorou quando leu). Não sei quem é o autor, mas copiei do blog de uma amiga também gravidinha: 
http://remamae.blogspot.com



Um anjo chamado Mãe

Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:
Disseram-me que serei enviado a Terra amanhã... Como viverei lá, sendo que sou pequeno e indefeso?
E Deus disse:
Entre muitos anjos, escolhi um especial para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você.
A criança então pergunta:
Mas me diga, aqui no céu eu não faço nada além de sorrir e cantar, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?
Deus:
Seu Anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor de seu Anjo e será feliz.
A criança:
Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?
Deus responde:
Com muita paciência e carinho, seu Anjo lhe ensinará a falar.
Criança:
E o que eu farei se sentir saudades e quiser falar com Você?
Deus diz:
Seu Anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a orar.
Criança:
Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?
Deus:
Seu Anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar-lhe sua própria vida.
Criança:
Mas eu serei sempre triste porque não Te verei mais!
Deus diz:
Seu Anjo sempre lhe falará sobre Mim, lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e Eu estarei sempre dentro de você.
Nesse momento, havia muita paz no céu, mas as vozes da Terra já podiam ser ouvidas.
A criança, apressada, pediu suavemente:
Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me, por favor, o nome do meu Anjo.
E Deus respondeu:
Você chamará o seu Anjo de... MÃE!


sábado, 18 de dezembro de 2010

Última semana de barrigão!



Bom dia, Dia!
Hoje está um dia lindo, diferente de ontem que estava nublado e chuvoso. Mas precisávamos da chuva pra esfriar um pouco o tempo por aqui. Ultimamente tava muito quente, um calorzão de fazer qualquer um passar mal. Agora está melhor! Talvez hoje eu vá curtir um pouco a piscina, afinal esse é o último final de semana que passo com o meu barrigão, né? Próximo sábado, se Deus assim permitir, a essa hora estarei com minha filhota nos braços.
Nessas últimas noites tenho sentido muita cólica. Como falei antes, nada exagerado, mas que incomoda. Tenho medo de que essa menina aperte pra nascer nesse final de semana, em que meu GO não está na cidade. Ele casou sexta-feira passada (dia 10) e saiu em lua-de-mel. Essa semana, dia 21, ele já está de volta... Depois disso, fico sossegadíssima, pois só queria fazer meu parto com ele. Ele deixou uma colega de trabalho de plantão no seu lugar. Antes de ontem, dia 16, fui à consulta de rotina com ela... Até gostei. Ela demonstrou profissionalismo e experiência, mas nada se compara a você estar nas mãos do seu médico, que cuida de você desde os 10 anos de idade, que sabe de tudo e um pouco mais de sua vida. É questão de confiança, segurança, amizade... Que não se constroem em apenas uma consulta. Por isso a mulher é acompanhada durante os nove meses de sua gravidez no pré-natal, para que isso vá se construindo aos poucos!
Esse foi um dos motivos pelo qual eu aceitei fazer a cesárea, além da anemia, é claro – fator mais importante! Meu médico só vai atender essa semana, pois na próxima ele entra de férias e só volta lá pro dia 20 de janeiro, deixando, novamente, a colega de plantão. Como minha DPP é para o dia 29, corro o risco de Kamille só nascer em Janeiro, nas mãos de outra médica. Fui criticada por alguns, por isso. Escutei comentários do tipo: “Isso é besteira! Tantas mulheres não fazem nem pré-natal nem nada, vão pro SUS e pegam qualquer médico e dá tudo certo!
Só que eu não sou igual a “tantas mulheres”... ora bolas. Graças a Deus, tenho condições de pagar um plano de saúde já para me garantir um bem-estar e segurança na hora de ir pra faca. Sem falar que em alguns postos de saúde também é possível você fazer um pré-natal bem feito e criar vínculo com o médico, sendo provável que ele realize o parto, por que não? Já vi e vejo casos assim. Basta a mãe ter a consciência de que está gerando uma vida, se cuidar e procurar (e exigir) um atendimento adequado. Afinal é para isso que pagamos, religiosamente, nossos impostos!
Enfim, essa é minha última semana de barrigão! Quero aproveitar muito esses dias, apesar de a ansiedade de ver minha filha ser maior. Vou curtir a piscina, quero ir ao shopping e tirar fotos na decoração de Natal, fazer meu book gestante, assistir a um bom filme pra relaxar e aguardar sexta-feira chegar. Tenho certeza que será o dia mais feliz de toda minha vida!
38 semanas e 2 dias de gestação!
Na casa de vovó Maria.

O Natal mais lindo da minha vida!



sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Palavras apenas, palavras pequenas... que nos emocionam!


Hoje acordei mega cedo!
Depois de alguns acontecimentos nesses últimos 2 dias, foi meio difícil conseguir dormir. É impressionante como a gente acha que 2 dias são apenas 2 dias, mas tanta coisa pode acontecer! Principalmente para uma mãe que aguarda ansiosamente sua filha nascer. Dentre outros acontecimentos, alguns bons e outros nem tanto, nesses dias eu recebi apoio e mensagens de carinho de pessoas que jamais imaginava na vida... isso é muito gratificante, deixa nosso ego mais aguçado e com mais vontade de encarar a vida e os fatos de frente. Não que eu precise delas (pessoas) para ser feliz, mas é tão bom a gente ouvir elogios, palavras de apoio/conforto, conselhos, instruções, palavras de carinho... e de pessoas que mal esperamos, então, é maravilhoso! É sinal de que elas dedicaram um pouquinho do seu tempo para pensar em mim, na minha filha, na minha família. E por isso eu só tenho o que agradecer, de coração!
Continuando nesse assunto, que tinha que ser nesse post – logo após o último, em que fiz um pequeno relato da minha vida e de como Kamille foi concebida, queria comentar um pouco sobre o depoimento que minha amiga Aluska (uma das grandes amizades que o curso de Letras me presenteou!) me deixou no Orkut ontem à noite. Fiz questão de dar um PrintScreen e postar o comentário aqui. Olha só que coisa mais linda, que palavras tão belas:



Aluska, amiga, você quer me matar de tanto chorar?! Ainda não lhe disseram que mulher grávida chora até com uma careta?! Lindo! Lindo!! Lindo!!! Não tenho palavras para expressar minha gratidão... Sei que não sou digna da comparação que você me fez, nem quero me igualar a Ela, apesar de já sentir [talvez] o mesmo amor que ela sentiu/sente por Nosso Senhor. Ela é a representação maior desse amor tão puro e lindo! Obrigadaaaaa!!

Tem como não ficar chorosa e sensível diante dessas palavras tão ternas? Só quem for de ferro... e eu não sou! Chorei, chorei e chorei... ow bicha besta! Pra completar, ainda ontem à noite, meu irmão me deu, ou melhor, deu à Kamille uma sandaliazinha pra Kamille sair da maternidade que é a coisa mais linda do mundo. Fiquei, mais uma vez, toda derretida.
Então, acho que por hora é só! Ainda estou meio chorosa... vou curtir minhas lágrimas, que são de felicidade.
E que venha minha princesa Kamille!!!



terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Presente de Deus!



Assim que soube que estava grávida, não tive dúvidas de que esse serzinho que estou gerando aqui dentro é o meu mais perfeito presente de Deus. Kamille é o fruto do mais puro amor que possa existir entre um homem e uma mulher. Desde nosso namoro, meu esposo e eu temos passado por diversas provações, provavelmente pra “medir” o tamanho do nosso amor, saber até onde ele era (é) capaz de chegar. Queria ir direto ao assunto, mas não sei como fazê-lo sem antes contar um dos fatos ocorrido comigo.
Quando começamos a namorar eu era bem magrinha, só tinha nariz (até hoje odeio o meu nariz! Mas é herança de família, fazer o quê? Rsrsrsrs)! Com o tempo comecei a engordar, até que no dia do nosso casamento (1 ano e 7 meses depois) eu já tava alguns quilinhos a mais. O tempo foi passando e como estava casada, comecei a fazer uso de anticoncepcional, afinal eu não queria uma surpresa antes da hora. Comecei a atribuir ao remédio o fato de estar engordando, daí pedi ao médico (meu GO é meu médico desde minha primeira menstruação) que me receitasse outro que não engordasse tanto. E ele me disse que aquele não engordava. Consultei uma endocrinologista, fiz exames de hormônios como a tireóide, mas nada de saber o motivo que me fazia engordar. Fiz regime, caminhadas, academia, tomei remédios controlados, mas sempre ficava no “efeito sanfona”: emagrecia um pouco, mas quando ganhava peso, era quase o dobro! E assim foi passando o tempo...
O ano de 2009 foi um dos piores da minha vida, apesar de no fim do ano eu ter tido a grande alegria da minha vida que foi a minha formatura. Foi uma grande realização! De junho pra julho (2009) visitei meu GO, pois havia quase 3 meses que estava sem menstruar. Eu toda feliz, já achando que estava grávida, entretanto não tinha sintomas nenhum a não ser uma forte dor de cabeça, que eu atribuía aos estudos. Eu tava num período em que eu estava estudando feito uma louca... e mal dormia! Fiz um Beta e deu negativo, fiz o segundo e novamente deu negativo. Até que meu GO me pediu uma bateria de exames... foi quando ele descobriu uma grande alteração na taxa de um hormônio chamado Prolactina. Depois de uma tomografia, ficou claro que eu estava com uma doença do tipo Hipotalâmico-Hipofisárias, que quer dizer que eu estava com um nódulo no cérebro, localizado na hipófise. Devido a essa taxa alterada, eu não tinha ovulação, por isso a falta da menstruação. A falta da menstruação também influenciava na minha fertilidade, me deixando praticamente estéril.
Ao ser bombardeada com tantas notícias ruins, meu mundo desabou! Não tenho nem palavras para expressar como me senti na época, só sei que eu chorava, chorava e chorava! Meu médico tentava me acalmar, dizendo que com o tratamento certinho tudo daria certo, mas parecia que eu não escutava o que ele dizia... Agora tava explicada minhas fortes dores de cabeça... tinha um caroçinho lá, atrapalhando tudo! Comecei a fazer o tratamento, o medicamento era caríssimo (8 comprimidos custavam mais de 250,00), comprei a primeira caixa enquanto tentava conseguir ajuda do governo. Felizmente consegui!
Durante o tempo do tratamento parei de tomar os anticoncepcionais, afinal, minhas chances de engravidar eram as mínimas possíveis! Nisso terminou o ano de 2009. Nunca gostei de anos com números ímpares: em 1999, meu pai se internou e só saí do hospital falecido, em 2005 perdi meu avô, em outros anos acontecimentos pequenos que também marcaram minha vida... e assim vai. No romper de 2010, pedi fortemente à Deus que se eu merecesse, me desse um ano que me recompensasse todas as lágrimas que havia chorado. Eu implorava paz e saúde! E Deus ouviu minhas preces...
Em março deste ano, minha menstruação veio além do normal, e eu já estava com medo de que fosse uma hemorragia, mas tudo normal, até que em abril a bendita não veio. Achei que fosse normal, afinal no mês anterior eu havia sangrado feito uma vaca. E assim passaram-se os dias... até que comecei a sentir náuseas, corpo mole e vômitos... muitos vômitos. Meu esposo foi o primeiro que disse que eu estava grávida, mas não dei bola, afinal pelo o que eu estava passando, era quase impossível. O tempo foi passando e os sintomas não passavam. Minha família insistia para que eu fizesse um Beta e eu sempre desconversando, pois eu não queria alimentar esperanças e no final quebrar a cara novamente. Foi então que meu esposo resolveu comprar um teste de farmácia, fiz e... duas listras... POSITIVO! Não acreditei!!Esperei dar 8h da manhã para ligar pro consultório do meu GO e pedir uma requisição para fazer o Beta, fiz e... POSITIVO!!
Eu não sabia se chorava, se sorria... meu corpo começou a tremer... fiquei nervosa... era a melhor notícia que eu recebia na minha vida. Um misto de sentimentos tomou conta de mim e eu não conseguia acreditar. Pra ser sincera, só acreditei de verdade na primeira consulta do pré-natal, em que escutei o coraçãozinho dela (eu ainda não sabia o sexo). A família toda amou a notícia! Comecei a ser mais do que paparicada, ou melhor, a barriga! Rsrsrsrsrs.
Mais do que nunca eu tive a certeza de que há um Deus, que nos ouve e nos ama. Que tem misericórdia de nós, mas que nos dá provações para ver até onde confiamos no Seu amor. Em todo o meu sofrimento, eu nunca me queixei a ele... pelo contrário, sempre pedia forças para aguentar tudo... principalmente quando eu só faltava correr louca, gritando e chorando com dores de cabeça. Hoje eu sei que Ele ouviu minhas preces e me enviou Seu mais lindo presente: KAMILLE!
Uma menininha, pra eu amar, abraçar, cheirar... ninar! Meu maior tesouro, minha jóia rara... E como se não bastasse, ela ainda vai chegar no mês que eu menos gostava, que pra mim simbolizava luto e tristeza. Ela vem me devolver a saúde, a alegria de viver, o verdadeiro significado do Natal.
Obrigada, Senhor, não tenho palavras para agradecer as maravilhas que Tens feito na minha vida. O Senhor me conhece, sabe o que se passa em meu coração e sabe o quão grata sou, por TUDO. Obrigada por me deixar gerar uma vida, que é Tua filha... por me dar essa dádiva... não tenho palavras para agradecer!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

♥ Quartinho da Kamille




Sem ter muito o quê postar hoje, pois não tenho novidades, então resolvi postar as fotinhas do quartinho de Kamille. Ahhh,  a única novidade é que passei a tarde toda com cólicas. Sabe aquelas cólicas chatinhas que geralmente dá quando você está para menstruar? Pronto! É assim que estou sentindo... Nada que doa muito, mas incomoda um bocado. Acho que é Kamille dando o sinal de que está chegando!
Bem, o quartinho de Kamille teve todo um processo, desde a pintura, até os detalhezinhos... Como essa princesa resolveu vir de forma inesperada (não imaginávamos que ela viria agora! – assunto para outro post), tivemos que fazer reforma na casa meio que às pressas, para que desse tempo de estar tudo pronto quando ela chegasse. Graças à Deus, deu tudo certo.
Abaixo, fotinhas de todo o processo de decoração do quartinho:


♥ O quarto ainda branco (sujo): Optei por fazer essa faixa com filetes de gesso para colocar os adesivos de parede!

♥ A cor escolhida foi rosa bebê (em cima) e rosa pink (em baixo). Eu pretendia fazer rosa com lilás, mas não encontrei as tonalidades que eu queria! 

♥ Esse é o bercinho onde minha pequena terá lindos sonhos. Optei por esse porque ele vira caminha depois e algumas partes dele viram prateleitras. Kamille o usará por um bom tempo!


 ♥ Esses foram os adesivos que tio Leandro fez! Ficou do jeitinho que a mamãe queria!

♥ A oraçãozinha que Mamãe tanto fez questão de colocar, para que os anjinhos protejam essa princesinha!

 ♥ O guarda-roupa!

 ♥ A cômoda!

A poltrona com a almofada "Mãe Coruja" que tia Cecy e tia Heidi deram.

O quartinho quaaaase pronto.

Faltam alguns detalhes que organizei essa semana, mas que ainda não tirei fotos, como a cortina, os nichos, etc. Em uma outra oportunidade, coloco tudinho aqui. Quando você crescer, filha, vai ter ótimas recordações do seu quartinho!