quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

"Téro ir pá icolinha!"

Tudo bem que essa frase pra mim sempre foi constante. Kamille sempre disse que queria ir pra escolinha. Como falei aqui em outros momentos, ir pra escolinha nunca foi problema por aqui. O problema sempre foi ao chegar lá que ela queria ficar, mas só que comigo ao lado. Sempre foi assim... e não deixou de ser!

Só que ontem, quando fui pegá-la, Kamille estava no colo de Tia Bárbara, que estava ajeitando seu cabelo. Kamille não correu ao meu encontro, como de costume. Ficou quietinha, esperando a tia terminar de prender o cabelo. E só depois, muito calmamente, veio para meus braços. Como de costume, quis choramingar e fez beiçinho, mas logo modificou o semblante.

Para sair temos que passar por um salãozinho que tem tv e é usado para as crianças assistirem vídeos. Havia muitas crianças de uma outra turma. Acho que era Infantil II. Kamille ficou encabulada, mas olhou atentamente para a tv, afinal os meninos estavam assistindo Dora Aventureira. Como ela parou, algumas crianças vieram falar com ela. E ela sempre tímida, pediu o braço. Coloquei-a nos braços e saímos da escola.

E antes de sair da escola, a surpresa! Kamille pede pra ir pro chão (isso não é novidade, pois ela sempre que ir andando para puchar a mochila), e de repente para e diz: "Não téro ir pá tasa, téro ir pá icolinha!". E começa a chorar. Um choro fino, parecia até que tava sentindo alguma dor. Coloquei-a novamente em meus braços e expliquei que já tava na hora de ir pra casa, mas que amanhã tinha mais. Ela não aceitou. Trouxe ela nos braços durante todo o trajeto - é bem perto daqui de casa.

Só que ela parecia inconformada. Esperneou para colocá-la no chão. Como não coloquei, ela me chutou, bateu, mordeu, puxou meu cabelo...  e isso se esguelando no meio da rua. O povo passava e perguntava o que tinha acontecido. Acho que já estavam pensando que eu havia feito alguma coisa com ela.

Imaginei que ao chegar em casa a cena melhorasse. tentei tirar a fardinha, mas o escândalo foi muito grande. Fiquei assustada. Coloquei-a no chão e a deixei chorando sozinha, mas não teve jeito. Era um choro sem fim. E sempre dizendo: "Téro ir pá icolinha!". Sei que 60% de toda essa cena era sono, pois como ela está chegando da escolinha e logo dormindo, acaba acordando cedo no outro dia. Ontem acordou às 6h e não dormiu durante todo o dia.

Então tirei a fardinha à força e coloquei uma camiseta. Não queria que ela dormisse naquela hora, mas não vi outra solução a não ser dar de mamar e colocá-la pra dormir. E foi assim que quase 40min depois de chegar em casa, ela dormiu. Um sono intranquilo, inquieto e vez ou outra chama "tia Bába" (Bárbara). Fiquei, além de exausta, preocupada. Isso é normal?

O fato de não querer vir pra casa até sei que é, pois já escutei relatos de várias mães. Mas o que me preocupou foi o comportamento agressivo dela. E ainda tô preocupada.

Como dormiu cedo, de novo, ontem, hoje acordou ás 5h20min. Felizmente consegui que ela dormisse `s 10h30min e acordou às12h30min. Em cima da hora de ir pra escolinha, mas como é aqui pertinho, deu tempo de fazer tudo e ainda chegar dentro do prazo de tolerância.

Entramos e como sempre ela queria ficar perto de mim. Mais uma vez me aproveitei de um momento de distração dela e saí da sala. Mas só vim embora ao vê-la bem e brincando. Sei que é errado - segundo os pedagogos e psicólogos - que a mãe saia escondido, sem se despedir dos filhos. Mas prefiro sair levando uma imagem linda dela brincando, do que a imagem dela chorando. Tá dando certo assim. Então, mudar pra quê?

Ah, antes de sair comentei com a Tia Bárbara sobre o ocorrido ontem e ela me disse que acha que foi o seguinte:

Ontem ela colocou música e fizeram uma grande roda. Houve uma certa música que eles gostaram tanto de brincar, dançar e pular que pediram pra que ela repetisse várias vezes. Em um determinado momento, já estava na hora de se banharem, pois logo os pais estariam chegando para buscarem. Todos reclamaram dizendo que queriam brincar mais.

Então deduzimos que deva ter sido isso: a sede por brincar!


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Nosso carnaval.

Viajamos no sábado, pois na sexta Alan teve uma reunião de trabalho em JP. 

O bom foi que deu pra Kamille ir pra festinha da escola. Foi tipo um baile de carnaval. As mamães não podiam ficar, mas tirei vááárias fotinhas antes de vir embora.

E por falar em escolinha, fiquei super feliz pois segundo Tia Bárbara, na sexta-feira passada, dia 15, Kamille não chorou um minuto se quer. Em alguns momentos lembrava de mim e logo a tia dizia que logo eu chegava. Quando fui pegá-la fiquei na porta e ela estava tão entretida brincando que não me viu. Fiquei admirando-a. Meu coração sorriu e pulou de alegria.

Minha linda abelhinha.




Se amostrando pra mamãe tirar foto!


No sábado, chegamos em Jacumã quase meio dia, mas ainda deu pra aproveitar uma praiazinha. Logo Kamille nos deu um susto grande: estávamos na praia, ela já tinha brincado na areia e tomando banho de mar quando de repente ela grita num choro fino e diz que é o ouvido. Como a praia que estávamos era perto do nosso apartamento, corri pra casa. Mas antes mesmo de chegar ela já havia parado de chorar. Tomamos banho juntas e eu sempre apertando os ouvidos pra ver se ela chorava ou se inquietava. Nada! Concluí que deve ter sido alguma pancada de vento. Todo o restante do carnaval sem surpresas deste tipo, graças à Deus.

No domingo e na segunda fomos à praia Bela. Já falei aqui que adoro essa praia, pois tem um riozinho que quando está seco dá pra deixar Kamille brincando sozinha. É um descanso, pois Kamille é bem afoita. Se deixar ela embala água adentro.

No domingo fomos pra rua olhar alguns blocos que saíram, mas logo voltamos pra casa.

Na terça fomos para a Praia de Carapibus, também bem perto de Jacumã. Não dá pra deixar Kamille sozinha, mas o mar é super tranquilo e gostoso de tomar banho. À noite fomos à quadra fazer um lanchinho e ainda rodamos no parquinho e compramos brinquedinhos. 

Na quarta já era dia de voltarmos pra casa, mas não sei antes almoçar a boa peixada. Chegamos em casa à tarde, já desejando outro feriadããão!

Em praia Bela, quando o riozinho está seco.



O riozinho enchendo...



Fazendo pose na Praia de Carapibus.

Gatxinha de mamãe!

Mina companheira.

Kamille Aventureira.

No parquinho.


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Adaptação na escolinha.

Pois é, ainda estamos em fase de adaptação. Kamille continua querendo ir à escolinha, mas ao chegar lá não me solta e nem quer ir brincar com as outras crianças, apenas comigo. Há dias que consigo sair sem que ela me veja e a deixo brincando e feliz, mas em outros dias, como hoje, saio com ela aos berros, nos braços da professora. Mas é claro que não deixo a escola sem que antes ela se cale, nem que isso dure a tarde toda.

Semana passada fiquei super mal e por umas duas vezes quase que eu a trazia pra casa comigo. Fui forte, resisti. Saía de lá chorando e passava a tarde toda com o coração trancado, dolorido. Foi quando, em minhas oração, pedi à Nossa Senhora que intercedesse por mim e por Kamille. Que fizesse com que nos adaptássemos sem dores e sem traumas. Fui e estou sendo atendida. Todos os dias é uma novidades que as tias me contam sobre ela. Ela continua a chorar, mas quando "venho embora" e ela não me vê mais, depois de chorar mais um pouco, ela se cala e começa a interagir. Tudo de acordo com a sua timidez, é claro.

Estou mais tranquila também. Já venho sem remorsos para casa. E assim vamos... Sexta-feira terá a festinha de carnaval na escola. Já providenciei a fantasia com minha amiga Helenaide, que me socorreu emprestando a fantasia de abelhinha que sua Mellyssa usou no aniversário de 1 aninho. Lindo!!

E por falar em carnaval, quero nem pensar como será quando voltarmos às aulas, pois serão 5 dias de recesso. Ela vai estranhar tudo de novo... :(


Vou postar agora as últimas fotos da escolinha e mais embaixo o vídeo que a tia Bábara fez para acalmar o coração da mãe besta aqui:


05/02/2013 - Fotos feitas por tia Bárbara, na hora do lanchinho.

05/02/2013 - Fotos feitas por tia Bárbara, na hora do lanchinho.

05/02/2013 - Fotos feitas por tia Bárbara, na hora do lanchinho.
06/02/2013 - Porque pra ir ela vai. O problema é quando chega lá
e ela não quer socializar enquanto estou por perto, nem quer me deixar ir embora. 


E eis o video, feito ontem, também pela tia Bárbara...