quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Festinha de 2 anos - Os imprevistos

Vou começar a contar pela parte "ruim" e estressante da festa. Já que, graças ao nosso Bom Deus, as alegrias superaram as tristezas!

Tudo veio caminhando bem nos preparativos da festa, até o sábado à noite quando percebi que eu tinha feito a conta errada dos leite condensados para fazer os docinhos. Fiz todos os docinhos e deixei os brigadeiros de tacinha por último. Ficaram faltando umas 30 tacinhas para encher, o que tive que deixar para o outro dia. Devido a hora, não havia local aberto para comprar mais leite condensado. Esquentei a cabeça pois havia zilhões de coisas pra fazer no outro dia, e ainda deixar pra fazer brigadeiro no outro dia era peso. Então tive a ideia de fazer danoninho caseiro. Lembrei que a última vez que fiz foi no Birifraldas de Kamille e foi um sucesso. O danoninho não precisa ir ao fogo, muito menos esperar esfriar. Economizaria bastante tempo. Fui dormir feliz com a ideia. 

No domingo acordamos cedinho. Fui no mercadinho e comprei mais leite condensado e algumas coisas que faltavam. Fiz o danoninho e coloquei mainha e a dinda de Kamille para ir enchendo as tacinhas e colocando cobertura de morando em cima. Ficaram uma delícia! Resolvi começar a ligar para os fornecedores para saber a que horas eu poderia pegar as coisas. resolvi começar a ligar pela menina que viria fazer a decoração com balões. Prá quê? Foi aí que começou minha dor de cabeça.

Ela é uma das meninas mais requisitadas aqui em Campina Grande no âmbito de decorações com balões. Ela faz cada coisa linda. Em abril, houve o aniversário do priminho de Kamille e como eu foi eu que organizei tudo, contratei ela para fazer a decoração dos balões. E ficou lindo, como a gente havia planejado. Dá pra ter noção de como ficou neste post.  A festa foi a do Ben 10. Não tirei fotos da decoração, mas dá pra ter uma noção de como ficou. Bem, no dia 17 de outubro entrei em contato com ela perguntando se ela tinha vaga para o da 23 de dezembro. Ela me falou que tinha e então lhe mostrei algumas ideias. Decidi o que queria e ela me falou a quantidade e as cores dos balões que eu deveria comprar e me pediu para ligar à noite para que ela agendasse na sua agenda. Assim o fiz. No outro dia, pelo face, perguntei se ela havia agendado a data e ela me confirmou que sim. Depois lhe mandei um sms com a data, o tema e o meu endereço. No dia 23 de Outubro liguei perguntando se ela havia recebido meu sms e se havia agendado tudo e mais uma vez ela me disse que sim. Fiquei até com vergonha, achando que estava incomodando já.

Passou o tempo, comprei as bolas e quando liguei pra ela, no dia da festa, ela simplesmente me disse que havia me esquecido. Que não lembrava de mim, nem da minha festa. E que todas as telas dela estavam em Bananeiras - PB. Meu chão se abriu. "E agora? O que faço?" - perguntei. E ela me disse que a única coisa que poderia fazer seria vir encher os balões. Na hora aceitei, pois não tinha outra alternativa. Ainda perguntei se ela tinha o painel da galinha pintadinha ou se sabia de outra pessoa que tivesse a tela para locar.  Ela me respondeu que não, pois a maioria do pessoal daqui de CG pegam telas com ela. Fiquei triste!

Corri e liguei para o rapaz a quem loquei as mesas e os personagens e ele me disse a mesma coisa: quando precisa de telas pega com essa menina. E que não tinha o painel. Liguei o pc, abri o face e comecei a procurar contatos. Liguei para uma que adquiriu toda a decoração de Amanda (menina que decorou a festinha do ano passado). Ela foi bastante simpática e solícita. Me deu o telefone de 3 pessoas que eu poderia conseguir a tela ou o painel. E essas pessoas foram me dando o telefone de outras e assim comecei minha saga a procura da tela ou painel. Depois de muito ligar consegui uma pessoa que tinha o painel e que estava disponível, pois umas outras 2 pessoas tinham, mas já estava alugado. Peguei o endereço e fui imediatamente pegar.

Alan não pode ir comigo, pois o rapaz das mesas clean, personagens e pula-pula havia acabado de chegar e as mesas dos convidados estavam pra chegar. Meu irmão ficou com ele e fui com mainha e minha comadre, no carro dela. Ao chegar na Almirante Barroso o carro estanca e não quer mais pegar. Após trezentas tentativas ela colocou o carro no acostamento e ligou pro seu irmão, meu compadre. Liguei para Alan e ele mandou Massilon (meu irmão) vir ao nosso encontro. Como eu precisava chegar logo à casa da mulher, deixei mainha com Priscila e fui com Massilon na casa da mulher. Peguei o painel e voltei. Minha comadre teve que ir pra casa com o irmão para verem o que havia com o carro. Era o alarme que estava desconfigurado e havia cortado a gasolina e afetado a parte elétrica. Menos mal.

Voltei para casa e recebi um sms da menina do bolo pedindo que eu fosse pegá-lo antes de 11h, pois ela iria viajar. Imediatamente peguei uma almofada e á fomos pegar o bolo. Como eu só havia ido uma vez na casa dela, me perdi. Rodamos um bocado até eu encontrar a casa certa. Encontramos, pegamos o bolo e voltamos pra casa.

Em casa, fui fazer o patê para os sanduíches, que mainha e Massilon ficaram fazendo. Fui lavar meu cabelo e colocá-lo na hidratação. Depois fui agir no Creme de Galinha, que já tinha o frango cozido e desfiado (adiantou muuuuito). Terminado o creme, fui pegar na decoração. Com a ajuda de Mainha, Massilon e Alan, colocamos o painel. Depois começamos a dispor a mobília no lugar mais adequado. E depois começamos a colocar as lembrancinhas e personalizados no lugar.

Mainha foi em sua casa com Alan e Massilon e levou Kamille, pois a menina que faria minha escova havia chegado e eu ia começar a escovar. Isso já era mais de 3h da tarde, sorte que eu marquei a festa para as 5h. Comecei a escovar o cabelo e chaga a menina dos balões. Veio com uma tela. Eu disse que não queria mais, pois havia conseguido um painel e que não iria pagar 2 locações. Eu já não teria onde colocar os dois. Ela começou a encher o balões e eu voltei para a escova. Era barulho de secador no meu pé do ouvido, do compressor dos balões... quando escuto mainha gritando: "Corre, Alan e fecha a água que tá molhando tudo!".

Corro para ver o que havia acontecido. Uma das ajudantes da menina dos balões havia colocado um prego na parede que acertou justo num cano, acreditam? Um furinho de nada e foi água pra todo lado. Não sei nem que sentimento me consumiu na hora. Não sei se era raiva, indignação, decepção, tristeza, ou se era tudo junto. Fiquei boquiaberta sem saber o que fazer. Alan fechou a água e começamos a enxugar as coisas...

Voltei para terminar a escova e Alan foi bater na Liberdade a procura de um local aberto para comprar cola de cano. Deus é Pai e ele encontrou. Só que não estava acertando no conserto. Teve que abrir uma cratera na minha parede. Isso do lado externo da casa. Quase 5h e nada de eu terminar a decoração, nada de água pra tomar banho... e eu num estresse tremendo. Até que chegaram a mãe, a tia e o marido da tia de Alan. Gente de casa, graças à Deus. O marido da tia de Alan lhe deu umas instruções e finalmente a coisa saiu. Todos me ajudaram na decoração final, que não ficou bem do jeito que eu queria, mas no final tudo certo. Eu não poderia querer demais. Fui dar banho e arrumar Kamille, afinal ela era a anfitriã. Depois deixei ela solta na festa e fui tomar banho em me ajeitar. E depois os demais. As pessoas chegaram atrasadas, graças à Deus, para minha sorte.

Por conta de todos esses imprevistos a festinha acabou começando tarde, mas tudo deu certo depois disso.

Deus é Pai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu e Kamille vamos adorar seu recadinho!!